quarta-feira, 17 de abril de 2013

Viver sem empregada, sim, é possivel!

Acompanho muito do que se passa no Brasil e claro que estou por dentro de todo o bafafa' que esta' dando  o novo projeto de lei da PEC das empregadas. Não vou repetir o que outros blogs ja' falaram lindamente sobre o assunto como aqui neste blog ou neste outro aqui. Recomendo fortemente a leitura, sobretudo se ainda é da turma do contra.

Muitos citaram como exemplo o modo de vida europeu, então vim aqui contar para vocês concretamente como vivem boa parte dos franceses de classe média. Como todos sabem, serviços em geral são muito caros por aqui. Ninguém faz unha toda semana na manicure, empregada doméstica que vem todos os dias é algo inexistente, assim como baba' que acompanha a familia em restaurantes, shoppings ou viagens. E nunca ouvi falar de baba' que dorme no emprego regularmente (a não ser, claro, para fazer baby-sitting ocasional para os pais sairem à noite). Aqui a baba' é so' durante a ausencia dos pais, nunca em presença deles.

Quem não consegue vaga em creche, recorre à uma baba'. Mas praticamente ninguém consegue bancar o salario de uma baba' sozinho porque a diferença de salario de um profissional domestico, seja ela baba' ou empregada, em relação ao salario do patrão não é 20, 30 vezes como ocorre facilmente no Brasil. Aqui a patroa vai ganhar no maximo 2 ou 3 vezes mais que a baba' e muitas vezes nem isso. Por isso é super comum a pratica de garde partagée, ou seja, dividir os serviços da baba' com outra familia como ja' explicamos aqui. Em geral as babas tem contrato de trabalho, férias, aposentaria, hora extra e todos os beneficios que eu também tenho no meu emprego. Nada mais justo na minha opinião, sobretudo se considerarmos a responsabilidade que é cuidar das crianças dos outros! Existem inclusive muitos cursos de aperfeiçamento para as profissionais da area, alguns deles pagos pelos organismos que arrecadam os encargos sociais que pagamos.

Quanto à faxina, a maioria das pessoas limpa a propria casa, homens e mulheres, sem grandes crises. Alguns possuem o pequeno luxo de pagar uma faxineira algumas horas por semana. Isso mesmo, algumas horas (3h, 4h por semana...) e dificilmente o dia inteiro porque a hora de faxina é cara. E agora a pergunta: como as mulheres dão conta de trabalhar, limpar a casa, cuidar dos filhos e ainda serem lindas e magras? Conto o segredo para vocês!

Para começar os apartamentos (em Paris, pelo menos) são pequenos e faceis de limpar. Ninguém tem 4, 5 banheiros em casa! Outra coisa que vejo que é muito mais comum por aqui do que no Brasil: os homens realmente dividem as tarefas domesticas com as mulheres. Ok, talvez ainda não seja totalmente igual mas ainda assim numa proporção bem mais justa que no Brasil. Os homens vão para a cozinha, fazem faxina, trocam fralda, fazem compras, levam e buscam as crianças na escola e na creche, dão banho nas crianças, passam as proprias camisas.

Outro fator importante: noto que os pais são menos encucados em dar papinha pronta ou congelados para as crianças. Sim, os franceses dão um grande valor à boa alimentação e à boa comida, e cozinhar é um dos passatemos preditelos deles nos finais de semana. Mas na correria do dia a dia, se não da' tempo de preparar algo fresquinho, vai comida pronta mesmo, sem grandes culpas. Alias, tem uma excelente rede de lojas de congelados chamado Picard, que é salvação das familias sem tempo! E olha que aqui não existe essa historia de "jantar" as 17h da tarde nas creches/escolas como existe no Brasil o que eu particularmente acho esquisitissimo! Aqui as crianças tem suas refeições em horarios normais: café da manhã por volta de 7h30, almoço ao 12h, lanche da tarde às 16h e jantar por volta de 19h30. Isso vale para bebês também (que ja' comem). Ou seja, os pais buscam os filhos nas creches/escolas ou com as babas e eles mesmos fazem e dão o jantar para os filhos.

Outro ponto a favor é que aqui os horarios de trabalho são bem mais tranquilos e perde-se menos tempo em congestionamento ja' que a rede de transportes, pelo menos em Paris, é maravilhosa. Eu, por exemplo, posso sair de casa as 8h e pouco e estar de volta às 18h30. Isso me deixa tempo disponivel para cuidar das crianças à noite e manter a casa relativamente em ordem.

E agora: a casa! Não existe casa impecavelmente limpa, sem nenhuma poeirinha, vidros sempre brilhando e tudo em seu lugar (se bem que quem tem criança nunca tem as coisas no lugar mesmo com empregada em casa, não é?). E não me venham com esse papinho preconceituoso que francês é sujo, não toma banho e todo esse blablabla. Aqui neste blog você não encontrara' este tipo de clichê ok? O fato é que trabalhando o dia inteiro, cuidando de filho (ou não) e sem empregada domestica que passa o dia limpando, não da' para ter uma casa perfeitamente limpa o tempo inteiro. A gente faz o que é possivel: um aspiradorzinho aqui, um limpadinha na privada ali, uma maquina de roupa acola' e na medida do possivel tentando deixar as coisas limpas e arrumadas até a proxima faxina. O segredo, pelo menos aqui em casa, é não deixar a bagunça acumular e viver sem neuroses. Ninguém vai morrer se aquela prateleira da sala passar 2 semanas sem ver o espanador de po'.

E por ultimo: as crianças aprendem desde cedo a regra "limpou-sujou" e são incentivadas desde cedo a participar das tarefas domesticas, como arrumar a cama, levar a louça suja para a pia, se servir de agua se estiver com sede. Aqui criança não é o reizinho/rainha da casa.

Agora, como as francesas ainda continuam lindas e magras? Bom, esse segredo confesso que desconheço, mas se alguém descobrir me fala!

Update: se você chegou neste post buscando dicas de como manter uma casa limpa sem faxineira recomendo fortemente a leitura deste texto do blog Vida Organizada, com um metodo de limpar a casa um pouquinho todos os dias para evitar passar horas fazendo faxina de uma vez so'. Adotei o metodo aqui em casa e tem funcionado que é uma maravilha!

11 comentários:

Andrea disse...

Simples como isso! Excelente post!

Anônimo disse...

Muito bom post. So nao concordo quando você fala que os "horarios de trabalho são bem mais tranquilos". Pois nem eu nem meu marido temos horarios tranquilos, e a maior parte das pessoas do nosso meio trabalham muitas horas por dia, até muito tarde... Isso depende do ramo.

Amanda disse...

Assino embaixo de cada linha!

liliana disse...

Gostaria de completar...eu sou brasileira e sempre trabalhei 40 h com os horários mais malucos possíveis pois sou professora e nunca tive necessidade de empregada..criei minhas filhas em creche e dando comida pronta...coca cola, guaraná, e minha casa sempre foi caótica com livros por todo lado, cachorro e gato...e olha fui muito feliz.
Só tive um único momento que precisei ter uma empregada, foi quando iniciei meu doutorado e além de trabalhar 40 h precisei enfrentar uma jornada mais longa (quase 60 h semanais) ai sim precisei apelar...mas mesmo assim essa empregada nunca cumpriu mais do que 40 horas semanais...e sobrevivi...eu acho que é possível sim viver sem empregada....principalmente se você respeitar o trabalho braçal como algo digno, e não como desmerecedor...assim você irá perceber que é divertido cozinhar, lavar roupa e claro cuidar de nossos filhos!

Andreza Dica e Indica Disney disse...

Ótimo exemplo! Esse será o futuro aqui no Brasil.

Natalia Itabayana disse...

Adorei ler o relato de quem tem filhos, porque o que mais escuto como argumento é "ah, mas quando você tiver filhos vai precisar de alguém". Meu marido é brasileiro, e aqui em casa ele faz faxina, cozinha, faz compras.
Mudamos pra um ap maior e estamos arrumando tudo: eu pinto as paredes, ele coloca o piso. Não contratamos ninguém, mudança foram nossos amigos que nos ajudaram, aluguei um caminhãozinho e em uma hora tudo estava no ap novo.
Ele trabalha, sai super cedo e chega tarde em casa, eu tenho meu estagio todos os dias mais aulas mais o tempo pra estudar e redigir. A grande faxina de jogar agua até no teto não existe aqui, e não faz falta, limpamos tudo muito bem e num tempo razoavel. A unica coisa que não consigo fazer é cortar meu proprio cabelo - ainda :)
Adorei seu depoimento!

gordinha disse...

Achei ótimo seu depoimento. Sou professora aposentada, tenho 77 anos e em dezembro do ano passado fiquei sem empregada , justo nas vésperas de Natal. Fiquei desesperada, já que nunca tinha ficado sem elas desde que me casei. Mas me dei muito bem. Consegui fazer a ceia para todos em casa .32 pessoas, entre filhos noras ,genros, netos e bisnetos. Foi maravilhoso nosso Natal. Contratei uma diarista e tudo se ajeitou no dia seguinte. Já me adaptei apesar de minha casa ser muito grande pois nela criei meus seis filhos. Me sinto feliz por fazer o serviço diário e até emagreci. Tenho uma diarista 1 vez por semana e tudo bem. Não sou mais aquela chata com super mania de limpeza. Tenho minhas horas de voluntária e sigo minha vida normalmente. Costuro, pinto, bordo, faço tricô e crochê me sentindo muito mais útil hoje. Amo e sou amada por meus netos e bisnetos. Hoje me tornei mais livre e sei, como nunca antes eu sabia e digo para todos te amo. Foi um prazer ler e deixar aqui meu comentário. Não há como ser hoje uma super mulher. Sendo uma boa já é o suficiente.

Mariana disse...

Como brasileira morando na França nao posso nao estar 100% de acordo... Sinto à vezes em certas casas uma dupla escravidao: da empregada que engole sapos incríveis e da patroa que nao sabe viver sem ela. Pra mim dar conta totalmente da nossa casa e dos filhos é uma liberdade, mesmo se o preço é deixar de lado vários luxos...(manicure? O que é isso! é de comer? Vende no Picard? )...


Bisous

Anônimo disse...

Vc ´so esqueceu de relatar que eles e elas não tomam banhos.

Mi Monteiro disse...

Bom ler isso...pesquisando no Google é o seguinte descobri no banco que se eu aplicar começando de agora o salário da minha faxineira me aposento pela previdência com 55 anos e 3.000.00 de salário. ..o que me fez pensar bem...

Alan Silva disse...

Olá. Gostei muito do seu artigo. Concordo com tudo o que você escreveu. Sem falar que ter um empregado em casa, mesmo no Brasil, além de hoje em dia ser muito caro (devido aos impostos), tira a privacidade dos moradores, gera desconfiança (roubo de pertences), intromissão na vida da família etc.... Sempre há descontentamento de ao menos uma das partes! Hoje temos muitos eletrodomésticos que nos ajudam. Sou um pai de família, casado, tenho dois filhos e divido as tarefas com a minha esposa. Tenho vontade de não precisar mais de empregada, dar mais autonomia e responsabilidade para meus filhos, que hoje estão com 5 e 7 anos. Mas para isso preciso convencer minha esposa que, ao contrário de mim, não sabe nem fritar um ovo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...