sexta-feira, 8 de junho de 2012

Crèche, halte-garderie, nounou... quem cuida das crianças em Paris?


Em Paris existem diferentes opções para quem tem filhos pequenos e precisa trabalhar. Para as crianças até três anos o numero de vagas nas estruturas coletivas em Paris (crèches e halte-garderies) são poucas em relação à enorme demanda (a França tem uma taxa de natalidade de 2,6 filhos por mulher e a maior concentração de nascimentos é na região Parisiense). Logo, é muito dificil conseguir uma vaga em uma crèche: as privadas são rarissimas e as publicas tem poucas vagas. Aqui as mulheres gravidas se inscrevem na fila da crèche no sexto mês de gravidez e ainda assim, não é garantia que conseguirão uma vaga. Nesse caso os os pais podem contratar uma baba (nounou ou assistente maternelle). 

No caso das estruturas coletivas e publicas, a proposta não é educar a criança, é cuidar. A equipe é composta  por puericultoras (enfermeiras especializadas em desenvolvimento infantil) e por educadoras (como as pedagogas brasileiras mas com formação mais curta e técnica). Nos espaços das crèches e halte-garderies as crianças tem acesso a espaços padronizados e extremamente controlados pela prefeitura (alimentos servidos, condições dos materiais, higiene). Para vocês terem idéia do controle de segurança, as meninas não podem usar brincos nem acessorios no cabelo, para evitar acidentes. As atividades são variadas e não são fixas: são propostas diversas atividades num mesmo periodo e a criança escolhe o que prefere fazer. Todas as crèches e halte-garderies contam com a participação periodica (semanal ou quinzenal) de técnicos da psicomotricidade (essa profissão não existe no Brasil) e psicologos, que acompanham o desenvolvimento psicossocial das crianças e aconselham as equipes. Para crianças de até os três anos esta é uma proposta bem interessante pois elas brincam com liberdade e aprendem as regras da vida em coletividade com toda a segurança e a assitência necessarias. 

Mas existem diferentes estruturas coletivas, confiram: 

Creches municipais
São administradas diretamente pela prefeitura de Paris. O preço da mensalidade varia em função do salario dos pais. Esta é quase sempre a 1° opção dos pais. Como todas as crèches, elas recebem as crianças em periodo integral, sem flexibilidade. As refeições são preparadas pelas proprias equipes e também passam por um controle sistematico. As inscrições são feitas diretamente nas Mairies d'arrondissement, as prefeituras dos bairros. O tipo de atividades propostas, a infra-estrutura e a formação das equipes são as mesmas para todas as crèches da prefeitura de Paris. 

Creches collectives 
A proposta é a mesma que a das creches municipais mas elas são administradas por empresas ou associações (geralmente de profissionais da educação). O preço da mensalidade segue o mesmo padrão das municipais: proporcional ao salario dos pais, porém as crèches collectives podem pedir contribuições mensais de fraldas, alimentos e materiais diversos. 

Creches parentais
As creches parentais seguem o mesmo modelo das municipais e  collectives mas são administradas por associações de pais e sempre exigem participação ativa dos pais na vida cotidiana da crèche. Isso quer dizer que os pais tem que ceder X horas por semana para trabalhar na crèche.

Creches familiales
Respondem a todos os critérios das creches municipais com a diferença que a equipe é formada por assistentes maternelles (ver mais adiante) agrupadas e pode ser administrada por uma associação, uma empresa, etc. As creches familiales são coordenadas por uma puericultora ou educadora e quem remunera as profissionais da equipe é o organismo que gere a estrutura. 

Halte-garderies 
As Halte-garderies funcionam como as crèches com a diferença que acolhem as crianças por no maximo 5 meios-periodos por semana. A escolha e combinação desses periodos (todas as tardes ou todas as manhãs ou dois dias inteiros e um meio periodo ou so uma manhã...) fica a critério dos pais e da disponibilidade de vagas da garderie. Os horarios são mais flexiveis: você pode levar a criança um pouco mais tarde se precisar ou busca-la mais cedo. Se a criança precisar faltar e os pais avisarem com 24h de antecedência, o dia de ausência não é cobrado no final do mês. As halte-garderies também se subdividem em municipais e associativas e é consideravelmente mais facil conseguir uma vaga numa dela que nas crèches. Uma boa opção para quem estuda ou trabalha so meio periodo. 

E quem não consegue vaga? Quem não consegue contrata uma babá. Duas opções neste caso:

 Assistantes maternelles (babás credenciadas da prefeitura)
Sabendo que não ha’ vagas para todos, a prefeitura possui uma equipe de babás formadas e credenciadas, que cuidam das crianças na propria casa, como se fosse uma mini-creche. Elas podem cuidar de até 3 crianças, em função do tempo de experiência e formação que elas tem. A casa delas deve ser apta a receber as crianças : é preciso ter um cômodo proprio para as crianças, brinquedos, carrinho para sair para passear, etc. Elas passam por controles periodicos da prefeitura (via PMI). O contrato de trabalho é feito diretamente com a propria babá mas o salario é definido pela prefeitura.

Assistante parental, (mais conhecida como "nounou" que é abreviação de nourrice - babá)
Muitos devem estar se perguntando : mas ué, porque não escolher logo uma babá pra ficar em casa? Porque se você quiser fazer tudo certinho, registrar, pagar o salario (um salario justo, o que as pessoas costumam fazer aqui), esta opção é a mais cara de todas. O mais seguro é passar por uma associação de babás, indicada pela prefeitura. As associações selecionam as babas, ajudam na parte burocratica, oferecem serviços como acompanhamento do trabalho da babá por profissionais especializados, as babás fazem ½ dia de curso por mês para se atualizarem.

Como não é todo mundo que tem condições financeiras de arcar com o custo de uma babá, muitas familias fazem uma "garde partagée", que é dividir a mesma babá entre duas familias. Na pratica funciona assim (existem variantes): durante 1 semana a babá cuida das crianças das 2 familias em uma casa e na semana seguinte na casa da outra familia. E assim os custos caem pela metade para cada familia.

Para quem contrata babá, com tudo declarado, existe uma bela redução de imposto de renda, além da possibilidade de uma ajuda financeira do governo (mais informações aqui). Um excelente incentivo para que todo mundo queira contratar as babás legalmente. 

A boa noticia é que a partir dos 3 anos tudo muda: as crianças podem frequentar as Ecoles Maternelles da Prefeitura (e as privadas nesse caso são menos raras) que são verdadeiras instituições publicas e gratuitas de ensino com programa pegagogico tradicional mas eficiente. E o melhor: todas as crianças tem direito à sua vaga!

Um comentário:

Anônimo disse...

Excelente apanhado de informações, para tirar 10 faltou apenas inserir os valores praticados em média para cada situação abordada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...